sexta-feira, 20 de março de 2015

imagem desconstruída.
rígida, intransponível
o teu rio que seca junto com as lágrimas
é agora um abismo na lembrança
o buraco em que as imagens pairam
uma utopia.
a vida é curta pra alcançar
o ponto ideal, onde as idéias se encontram.
tropecei no propósito e você não sabe.
que cai no chão
porque sabia que teu coração era bom.
teu coração sempre vai ser.
mas agora eu também que cresço
não espero
nem pretendo
tropeçar
pra que você me olhe.