quinta-feira, 21 de agosto de 2014

moro numa jaula. vago pelas ruas dum bairro bacana de São Bernardo. sou multado duas vezes na estrada das lágrimas e na anchieta. velocidade. moro numa jaula e tenho uma carro preto desbotado que não é meu. a rua piauí desemboca na consolação e a Maceió volta pra angélica, ali em higienópolis é como se eu tivesse num outro mundo. eu e o santanão, ambos desbotados e sem emblema. São Paulo se escondeu atras de um Rayban e no rádio só toca bosta. cumpro meu contrato pra consertar a merda do meu dentista e volto. desesperar com umas peças de roupa, um disco que nunca foi terminado e o nariz entupido de porcaria. hoje eu quis realmente morrer. fiquei feliz quando senti aquelas pontadas no lado esquerdo. São Paulo me fudeu e agora tenho historia pra contar e uma mulher que quer me deixar. mas eu a deixei primeiro e ela foi pra João Pessoa sabe lá deus que babilonia louca a acolheu. enquanto isso eu ando porai, chego até sao caetano.ali na leste coisa da pesada e o tempo se arrasta. arranjo encrenca. mulher. ei de morrer de exaustão vou estudar agronomia ou comprar um rifle.